Até quando fazer o congelamento de óvulos?

Até quando fazer o congelamento de óvulos?

Os avanços da medicina permitiram que casais inférteis tivessem a possibilidade de terem filhos por meio das técnicas de reprodução assistida (RA), principalmente, com a FIV (fertilização in vitro). Outra finalidade da RA é a preservação da fertilidade, sendo realizada por meio do congelamento de óvulos.

A sociedade mudou e muitas mulheres estão postergando a maternidade para se dedicarem à carreira, porém a capacidade reprodutiva feminina diminui com a idade. A fim de resolver esse dilema, o congelamento de óvulos está sendo cada vez mais procurado.

No entanto, uma dúvida frequente entre as mulheres é se existe uma idade certa para o congelamento dos óvulos e até quando o procedimento pode ser realizado. Continue a leitura para saber a resposta!

O que é congelamento de óvulos?

O congelamento de óvulos visa preservar a fertilidade da mulher, por meio da coleta e do armazenamento dos gametas por tempo indeterminado.

Existem várias técnicas de congelamento, sendo a vitrificação a mais utilizada. Ela consiste no congelamento super rápido dos óvulos, impedindo a formação de cristais de gelo, de modo a aumentar a qualidade do material após o descongelamento. Os óvulos são imersos no nitrogênio líquido em uma temperatura de -196 ºC.

Passo a passo da técnica

Durante o ciclo menstrual, a mulher libera um óvulo durante a ovulação. Porém, para o congelamento de óvulos é ideal coletar o maior número possível de gametas.

O primeiro passo do processo é a estimulação ovariana. A paciente recebe medicação hormonal oral ou injetável para estimular os folículos ovarianos, estruturas onde os óvulos se desenvolvem. O processo dura, em média, de 10 a 12 dias. Durante esse período são realizadas ultrassonografias para acompanhar o crescimento dos folículos.

Quando eles estiverem maduros, o médico faz a coleta por um procedimento chamado punção folicular. O procedimento é rápido, feito com anestesia local e a paciente é liberada logo depois.

A amostra coletada passa por uma análise, dessa forma, apenas os óvulos de maior qualidade serão congelados. O ideal é o congelamento de, em média, 15 óvulos. O processo de criopreservação é seguro e o material não tem prazo de validade, podendo ser utilizado até 10 anos após o congelamento sem perder a qualidade.

Quando ela é indicada?

O congelamento de óvulos é indicado, principalmente, para 2 finalidades: a preservação social e a oncológica.

A preservação social é a alternativa mais escolhida por pessoas que desejam postergar a maternidade. Atualmente está crescendo a procura por esse procedimento por mulheres que priorizam a carreira e as realizações pessoais, deixando a vontade de engravidar para o futuro.

A quimioterapia e a radioterapia são tratamentos que destroem as células cancerígenas e podem atingir as células reprodutivas. Por isso, a preservação oncológica é indicada antes do início do tratamento do câncer.

Mulheres com histórico de menopausa precoce ou que precisam fazer alguma cirurgia nos ovários também se beneficiam com a técnica.

Existe uma idade ideal para fazer o congelamento de óvulos?

A decisão de fazer o congelamento de óvulos é pessoal e não existe uma idade ideal para fazer o procedimento. No entanto, como a idade máxima para se submeter a uma técnica de reprodução assistida é de 50 anos, segundo o Conselho Federal de Medicina, o congelamento dos óvulos deve ser realizado antes.

A partir dos 35 anos, a capacidade reprodutiva feminina decresce e, a cada ano, a qualidade dos óvulos diminui. Por isso, o congelamento de óvulos é um processo vantajoso porque ele se mantém com a idade do momento da coleta. Assim, quando a mulher decidir engravidar, o óvulo utilizado ainda será “jovem”.

Congelar os óvulos antes dos 35 anos é o ideal. Mas muitas mulheres nunca pensaram sobre essa possibilidade antes dessa idade. A ideia principal é: quanto antes for feita a criopreservação, melhor. Por isso, é melhor realizar o procedimento com 40, do que com 42 anos, por exemplo.

O problema em fazer o congelamento de óvulos com 40 anos ou mais, é que a mulher tem um estoque ovariano menor nessa fase da vida. Por isso, é provável que faça o procedimento mais de uma vez para coletar o número esperado de óvulos.

Congelei os óvulos e decidi que chegou a hora de engravidar. E agora?

A única técnica de reprodução que utiliza gametas criopreservados é a FIV. Inclusive, a taxa de sucesso do procedimento aumenta nesses casos, pois apenas os óvulos mais saudáveis são utilizados.

Como os óvulos que serão utilizados já foram coletados e criopreservados, a paciente não precisa passar pelas etapas de estimulação ovariana e coleta dos óvulos novamente. O descongelamento dos óvulos é feito no mesmo dia da fecundação. A amostra seminal do parceiro também é coletada e analisada no mesmo dia.

A técnica mais utilizada atualmente é a FIV por ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides), onde o espermatozoide é inserido diretamente no óvulo. Os embriões gerados são cultivados por alguns dias para se desenvolverem, enquanto, o útero da mulher é preparado para recebê-los.

Vários protocolos podem ser utilizados durante a preparação do endométrio, como a administração de medicação oral com estrogênio, para estimular o espessamento do endométrio. Esse processo se assemelha ao que ocorre naturalmente durante o ciclo menstrual e dura, cerca de, 28 dias.

Muitas mulheres relatam alívio e uma diminuição da pressão social para se tornarem mães quando optam pelo congelamento de óvulos. A decisão de quando é o melhor momento para fazer o procedimento, deve ser tomado pela mulher. Apesar da fertilidade feminina diminuir a partir dos 35 anos, quanto antes o procedimento for realizado, melhor.

A preservação social da fertilidade é um dos principais motivos para as mulheres desejarem congelar os óvulos. Saiba como funciona o congelamento social e os seus riscos no nosso artigo sobre o assunto!

Compartilhe:

Deixe seu comentário:
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments