O impacto da fé na saúde

by Taciana Fontes

Uma constatação do que eu já observava na minha prática clínica foi publicada na Veja no último dia 26.

A matéria “Fé e Fertilidade” traz um estudo brasileiro onde mulheres com fé, submetidas a tratamentos de infertilidade, têm maior chance de engravidar.

 

Trato isso com muita clareza com minhas pacientes: é muito importante acreditar que a fé faz parte do processo. Creia! Entregue! Pense positivo! O resultado virá...

------------

Oito em dez pessoas afirmam pertencer a um grupo religioso. Muitos pacientes procuram a espiritualidade para aliviar os sofrimentos causados por doenças ou para encontrar forças para sua aceitação ou enfrentamento. E realmente foi comprovado cientificamente que pessoas espiritualizadas podem diminuir o risco de alguns tipos de doenças como as cardiovasculares, o diabetes, acidentes vasculares cerebrais, infartos e insuficiência renal. Atualmente, em algumas escolas de medicina, os alunos já possuem matérias sobre a importância da espiritualidade no processo de cura.

 

O impacto da fé na saúde

 

O impacto da fé nos tratamentos de transtornos psiquiátricos é estudado há longo tempo. Pesquisadores apuraram sua atuação em diversas áreas cerebrais, com destaque para o sistema límbico, o responsável pelas emoções. Altruísmo e solidariedade são características preponderantes nos indivíduos espiritualizados, independentemente da religião, o que reforça o efeito calmante da fé.

 

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto, no Canadá, analisou as atividades cerebrais dos participantes com aplicação de um teste conhecido como Stroop e constatou que a fé pode diminuir a ansiedade, a depressão e o estresse, bem como o medo de enfrentar o que parece incerto e desconhecido.

 

A intervenção médica no processo de procriação demanda reflexões que afetam diversas áreas do conhecimento humano, para estudar os processos mentais (sentimentos, pensamentos e razão) e o comportamento dos pacientes. 

Texto: Edson Borges

Deixe seu comentário