Endometrite: conheça e saiba identificar os sintomas

Endometrite: conheça e saiba identificar os sintomas

Para que a nidação seja bem-sucedida, tanto o embrião quanto o útero devem estar saudáveis, caso contrário, o processo pode ser falho. Um dos problemas que podem ocorrer é a endometrite, processo infeccioso responsável por vários casos de implantação embrionária.

A infecção ocorre no endométrio, membrana constituída por tecidos e vasos sanguíneos que revestem a parede uterina. Durante o ciclo menstrual, sua espessura aumenta até que alcance o tamanho mínimo para receber e nutrir um embrião — ou mais, no caso de gravidez gemelar —, mas quando nenhum óvulo é fecundado no período, a estrutura se descama e dá origem à menstruação.

No entanto, quando um embrião é formado, mas a implantação falha, a causa deve ser investigada para que a mulher tenha sua capacidade reprodutiva restaurada.

Este texto aborda os sintomas da endometrite e informações gerais sobre a enfermidade, como definição, diagnóstico, relação com quadros de infertilidade e tratamento. Leia o artigo até o final e descubra se você apresenta sinais da infecção.

O que é endometrite?

A endometrite é um processo infeccioso que acomete o endométrio, geralmente devido ao surgimento de bactérias na região, que pode acontecer por diversas causas e que, portanto, pode ser classificada de duas maneiras: aguda ou crônica.

A primeira tem curta duração e origem em procedimentos ginecológicos. Esta condição pode surgir, por exemplo, após um aborto, parto (endometrite puerperal) e a utilização de um dispositivo intrauterino (DIU), principalmente se não foram tomados os cuidados higiênicos necessários.

A endometrite crônica, no entanto, é recorrente e pode ser causada por bactérias, vírus e parasitas devido a, principalmente, procedimentos ginecológicos e ISTs, como a clamídia, gonorreia e sífilis.

Quais são os sintomas da endometrite?

Nem sempre a endometrite apresenta sinais de sua existência, especialmente nos casos crônicos. No entanto, os possíveis sintomas são iguais para ambas as situações, embora a febre seja mais comum na versão aguda da enfermidade.

Nesses casos, também são percebidos, com mais frequência, outros sintomas da endometrite, o que contribui para um diagnóstico e tratamento mais rápido. Além de febre, a infecção costuma originar um mal-estar geral, dores abdominais (especialmente no baixo ventre), pélvicas, durante a relação sexual e na menstruação, além de cólicas e constipação.

A endometrite também pode causar corrimentos vaginas de sangue (fora do período normal da menstruação) ou de um líquido de cor branca ou amarelada, geralmente com odor, maior frequência urinária e aumento de sensibilidade uterina.

O diagnóstico é realizado em consulta a um ginecologista, que deverá ouvir a paciente para identificar os sintomas, realizar exames de toque e, se necessário, requisitar análises do sangue, biópsia do material endometrial, colhido via laparoscopia, cultura de bactérias em laboratório, ultrassonografia pélvica e ressonância magnética.

Por que a endometrite pode levar à infertilidade?

A ciência ainda não descobriu todos os motivos que influenciam negativamente a implantação embrionária, seja em gestações naturais, seja por meio de métodos de reprodução assistida. No entanto, as evidências sugerem que o embrião deve estar saudável e o endométrio receptivo para que o processo seja bem-sucedido. A presença de uma infecção inflamatória é, naturalmente, um desafio.

Existem muitos casos de implantação falha cuja causa foi a endometrite. De acordo com estudos, na população de mulheres inférteis, a doença está presente em 2,8% a 39% dos casos, mas em grupo de mulheres que já sofreram abortos de repetição ou falhas na implantação, o percentual é de 60% e 66%, respectivamente.

Ainda não se sabe, também, o motivo exato pelo qual a endometrite pode afetar a capacidade reprodutiva feminina, mas evidências indicam que o sistema imunológico materno pode se voltar contra o embrião e, assim, interromper o processo.

Existe tratamento para a endometrite?

A endometriose é uma doença de difícil diagnóstico, especialmente nos casos crônicos, quando não há sinais de sua existência. Na versão aguda, além dos sintomas serem mais facilmente notados, o tratamento costuma ser rápido, por meio de antibióticos e anti-inflamatórios receitados de acordo com os resultados dos exames.

Em casos crônicos, quando a doença não for sanada por métodos simples, o médico pode recomendar uma cirurgia para remoção de tecido inflamado ou de todo o útero, em casos mais graves. Se a endometrite foi causada por alguma IST, é possível que ao parceiro também seja sugerido tratamento.

A endometrite é uma infecção inflamatória que acomete o endométrio e pode causar dores, febre, corrimentos vaginas, sangramentos não relacionados à menstruação, constipação, cólica, inchaço abdominal, irritação no útero e quadros de infertilidade, embora seja, em alguns casos, assintomática.

Mulheres que apresentam esses sintomas devem procurar um ginecologista o quanto antes, especialmente se nutrem o desejo de engravidar, para que um diagnóstico adequado seja realizado e a paciente possa ter sua capacidade reprodutiva restaurada.

Este artigo foi útil para você? Então ajude outras tentantes a conhecer os sintomas da endometrite: compartilhe-o em suas redes sociais.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de