Infecção por clamídia

A clamídia é uma doença sexualmente transmissível (IST) causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que pode afetar homens e mulheres em todas as faixas etárias, embora seja mais prevalente entre mulheres jovens.

Em alguns casos, pode ser assintomática, embora também provoque o surgimento de sintomas, como corrimento vaginal alterado, secreção no pênis, queimação ou dor ao urinar.

Apesar de ser facilmente tratada, a ausência de tratamento pode causar problemas mais graves, incluindo infertilidade. Manter relações sexuais desprotegidas é o principal fator de risco para contaminação por clamídia.

Este texto aborda todas as características da infecção por clamídia: causas, fatores de risco, diagnóstico, tratamento, sintomas que indicam a necessidade de procurar um especialista e orientações para a prevenção.

Causas e complicações da infecção por clamídia

A bactéria Chlamydia trachomatis é mais comumente transmitida pelo sexo vaginal, oral e anal. Porém, também pode ocorrer a transmissão da mãe para o filho durante o parto, podendo provocar condições como pneumonia ou infecções oculares no bebê. Alguns fatores de risco contribuem para a infecção por clamídia:

Se não for adequadamente tratada, a clamídia pode provocar diversas complicações:

Maior risco de outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs): as pessoas que têm Clamídia trachomatis têm risco aumentado de contrair outras ISTs, incluindo gonorreia e HIV.

Doença inflamatória pélvica (DIP): a DIP causa inflamação do útero e das tubas uterinas, provocando danos aos órgãos sexuais e comprometendo a fertilidade.

Epididimite: inflamação do epidídimo, tubo localizado na parte posterior do testículo que armazena e transporta o sêmen. A infecção pode resultar em febre, dor nos testículos e inchaço.

Prostatite: inchaço de uma pequena glândula da próstata que produz o líquido seminal. A prostatite pode resultar em dor durante ou após as relações sexuais, febre e calafrios, dor ao urinar e dor lombar.

Infecções em recém-nascidos: a infecção por clamídia pode ser transmitida pelo canal vaginal da mãe para o feto, provocando pneumonia ou infecção ocular grave.

Infertilidade: as infecções por clamídia podem causar cicatrizes e obstrução nas tubas uterinas, o que pode afetar a fertilidade.

Artrite reativa: pessoas que têm Clamídia trachomatis têm risco aumentado de desenvolver artrite reativa, também conhecida como síndrome de Reiter, condição que, além de afetar as articulações, também pode causar inflamações nos olhos e uretra – tubo que transporta a urina da bexiga para fora do corpo.

Quais são os sintomas da infecção por clamídia?

Embora na maioria dos casos a inflamação por clamídia seja assintomática, alguns sintomas podem indicar o problema. Geralmente eles se manifestam duas semanas após a infecção pela bactéria e são leves e passageiros, por isso mais facilmente ignorados. Sinais e sintomas da infecção por clamídia podem incluir:

Sintomas de clamídia em mulheres

Sintomas de clamídia em homens

A Chlamydia trachomatis também pode provocar infecções oculares pelo contato com secreções infectadas.

É importante consultar um especialista se algum sintoma for percebido ou se o seu parceiro tiver contraído a infecção, nesse caso independentemente de apresentar ou não sintomas.

Como a infecção por clamídia é diagnosticada?

A triagem para detectar a presença da bactéria Chlamydia trachomatis é indicada para pessoas com sintomas urogenitais, anorretais e oculares, histórico de ISTs ou que tiveram contatos sexuais com pessoas portadoras.

Os procedimentos diagnósticos são bastante simples e preveem a coleta de amostras para análise:

Teste de urina: a análise de uma amostra poderá indicar a presença da infecção;

Amostras epiteliais das regiões afetadas: nas mulheres, a cultura pode ser realizada no colo do útero durante o teste Papanicolaou de rotina. Já nos homens, é feita com a utilização de um swab, uma espécie de cotonete estéril para coletar amostras da uretra ou ânus.

Como a Chlamydia trachomatis pode provocar diferentes complicações, de acordo com o caso, a triagem deverá ser repetida. A triagem de clamídia geralmente é indicada nas seguintes situações:

Quais os tratamentos indicados para infecção por clamídia

A clamídia pode ser facilmente curada com antibióticos. Após a utilização dos antibióticos, é recomendada a abstenção da atividade sexual por até sete dias, quando são ministrados em dose única, ou até o término de um ciclo de sete dias de utilização de antibióticos.

Embora a medicação contenha a infecção, ela não reparará nenhum dano permanente causado pela doença. Se os sintomas persistirem após o tratamento, ele deverá ser repetido.

A recorrência de infecção por clamídia é bastante comum. Ter múltiplas infecções por clamídia também aumenta o risco de complicações graves para a saúde reprodutiva da mulher, incluindo doença inflamatória pélvica (DIP), gravidez ectópica e infertilidade.

Mulheres e homens com clamídia devem ser testados novamente cerca de três meses após o tratamento de uma infecção inicial, independentemente do sucesso dele.

Como prevenir a infecção por clamídia?

Algumas ações são importantes para prevenir a infecção por clamídia:

Utilização de preservativos: a utilização de preservativos reduz significativamente os riscos de infecção.

Rastreios regulares: as pessoas sexualmente ativas devem realizar periodicamente o rastreio para clamídia e outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Evite a utilização de duchas: duchas podem diminuir o número de bactérias benéficas na flora vaginal, aumentando, consequentemente, o risco de infecções.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de