Infertilidade masculina

A infertilidade masculina pode ser definida como qualquer problema de saúde em um homem que reduza as chances de sua parceira engravidar. Acontece devido à baixa produção de espermatozoides ou ausência deles no fluído seminal (azoospermia), função espermática anormal e bloqueios que impedem a ejaculação.

Doenças, lesões, problemas crônicos de saúde e estilo de vida estão entre os fatores que podem provocar a infertilidade masculina, responsável por um percentual de infertilidade dos casais que varia entre 20% e 40%.

Apesar de a infertilidade masculina ser geralmente assintomática, assim como na feminina, o principal sintoma é a incapacidade de conceber. Além disso, outros sinais também podem indicar o problema.

Conheça, neste texto, as principais informações sobre a infertilidade masculina, desde os sintomas que indicam a necessidade de procurar um especialista, até as causas, diagnóstico e tratamentos.

Quais são os principais sintomas da infertilidade masculina?

O principal sintoma de infertilidade é a incapacidade de concepção. Além disso, outros sinais incluem:

O que pode provocar a infertilidade masculina?

A infertilidade masculina pode ser provocada ​​por diferentes problemas de saúde ou mesmo por tratamentos médicos.

Distúrbios do espermatozoide

Alterações na produção, quantidade, qualidade e motilidade dos espermatozoides estão entre os principais distúrbios que podem provocar a infertilidade masculina. Eles podem ser causados por problemas genéticos, hábitos de vida não saudáveis, como tabagismo e alcoolismo, medicamentos, determinadas doenças, como insuficiência renal ou caxumba, alterações nos cromossomos e problemas hormonais.

Danos no sistema reprodutivo podem causar ainda baixa ou nenhuma produção de espermatozoide. Cerca de 4 em cada 10 homens com ausência total de espermatozoides (azoospermia obstrutiva) têm uma obstrução por defeitos congênitos ou problemas como infecções.

Varicocele

A varicocele é uma doença que se caracteriza por uma insuficiência das veias que irrigam o cordão espermático (cordão que sustenta os testículos), de modo semelhante às varizes, principal manifestação dessa patologia. Elas comprometem a produção e a qualidade dos gametas masculinos, pois provocam um aumento na temperatura escrotal e intratesticular e, consequentemente, alterações no processo de produção, causando a redução da fertilidade.

Ejaculação retrógrada

Na ejaculação retrógrada, o sêmen entra na bexiga em vez de sair pelo órgão genital. Isso acontece quando os nervos e músculos da bexiga não fecham durante o orgasmo. Pode ser causada por cirurgia, medicamentos ou problemas do sistema nervoso. Os sinais são urina turva após a ejaculação e menor quantidade de fluido ejaculado.

Obstruções

Infecções repetidas, cirurgia (como a vasectomia), inchaço, tumores ou defeitos de desenvolvimento podem causar obstrução no sistema reprodutivo masculino, impedindo a saída dos espermatozoides.

Hormônios

Hormônios produzidos pela glândula pituitária também orientam a produção de espermatozoides, que pode ser comprometida quando os níveis estão abaixo do normal.

Cromossomos

Os espermatozoides transmitem 50% do DNA para os óvulos. Alterações no número e estrutura dos cromossomos podem afetar a fertilidade.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem alterar a produção, função e ejaculação de espermatozoides. Geralmente são administrados para o tratamento de problemas de saúde, como:

Como diagnosticar a infertilidade masculina?

Para diagnosticar a infertilidade masculina, além de uma avaliação clínica detalhada do histórico do paciente e exame físico, é necessária a realização de exames de sangue e espermograma para confirmar o problema. Fazem parte dos exames comumente solicitados pelos especialistas:

Histórico do paciente e exame físico

A avaliação do histórico inclui informações que possam afetar a fertilidade, tais como defeitos no sistema reprodutivo, níveis baixos de hormônios, doenças ou acidentes. O exame físico considera problemas no órgão genital, epidídimo, ducto deferente e testículos, entre eles a varicocele.

Análise seminal (espermograma)

A análise do sêmen é um teste de laboratório de baixa complexidade, geralmente repetido depois de alguns dias para evitar erros de diagnóstico. O sêmen é coletado e analisado de acordo com critérios específicos, como cor, aspecto, tempo de liquefação, volume, viscosidade e pH (análise macroscópica), assim como concentração, motilidade, morfologia e vitalidade dos espermatozoides (análise microscópica).

Ultrassonografia transretal

A ultrassonografia transretal é solicitada para avaliar estruturas específicas, como o ducto ejaculatório e as vesículas seminais, que podem apresentar malformações ou obstruções.

Biópsia testicular

Se um teste de sêmen constatar um número muito baixo de espermatozoides ou a ausência deles, será necessária a realização de uma biópsia testicular. Ela cumpre dois propósitos: definir a causa da infertilidade e coletar espermatozoides para utilização em procedimentos de reprodução assistida.

Perfil hormonal

A avaliação dos níveis hormonais é importante para verificar a produção de espermatozoides, ao mesmo tempo que descarta outros problemas.

Quais os tratamentos indicados para a infertilidade masculina?

Os tratamentos para a infertilidade masculina são relacionados com as causas da doença e abrangem as técnicas de reprodução assistida, caso o tratamento da doença específica não traga benefícios relevantes ou a doença não tenha cura.

Os tratamentos para infertilidade masculina incluem:

Em casos raros, os problemas de fertilidade masculina não podem ser tratados e é impossível para o homem gerar um filho. Quando isso acontece, a doação de espermatozoides ainda é um recurso viável.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de