O que é criopreservação?

O que é criopreservação?

A criopreservação é uma das técnicas complementares da FIV (fertilização in vitro) que contribuiu para melhorar suas taxas de sucesso, sendo hoje utilizada em diversos momentos da realização dessa técnica de reprodução assistida.

Ao permitir o congelamento de gametas, embriões e tecidos gonádicos, essa técnica faz com que as chances nos ciclos de tratamento da FIV sejam aumentadas, além de permitir preservar a fertilidade e possibilitar a doação de embriões ou gametas.

Visando regulamentar a utilização da técnica de criopreservação, o Conselho Federal de Medicina (CFM) estabeleceu, em sua resolução 2168, regras que têm o objetivo de definir como e quando essa técnica pode ser realizada.

Neste artigo abordarei a criopreservação, explicando o que é e como é realizada essa técnica, suas vantagens e indicações.

A criopreservação

Criopreservação é o nome dado à técnica de congelamento de embriões, gametas masculinos e/ou femininos e tecidos gonádicos. Essa técnica é realizada na reprodução humana no contexto da FIV.

Além de permitir que gametas e embriões sejam congelados por tempo indeterminado, essa técnica também tem a vantagem de melhorar a receptividade endometrial na FIV, uma vez que permite que os embriões sejam congelados para serem implantados no ciclo seguinte, o que reduz os efeitos hormonais no endométrio.

O congelamento desses materiais é feito ao remover-se a água intracelular, que é substituída por soluções crioprotetoras.

Os embriões excedentes do processo de FIV devem ser criopreservados, e cabe aos pacientes manifestar por escrito sua vontade em relação ao destino deles. Isso deve ser registrado, prevendo as possíveis situações futuras.

Embriões e gametas congelados por três ou mais anos podem ser descartados.

Como é realizada essa técnica?

A realização da técnica de criopreservação pode ter objetivos diversos. O primeiro passo para tal procedimento é coletar o material a ser preservado. No caso dos gametas, após sua coleta, há a preparação em meio laboratorial, que tem o objetivo de selecionar os melhores a serem congelados.

A mesma seleção ocorre com os embriões, que podem ser submetidos a testes a fim de verificar a possibilidade do desenvolvimento de doenças genéticas. Os embriões que forem considerados saudáveis podem ser congelados.

O congelamento pode ser feito de duas formas, sendo a primeira técnica chamada de congelamento lento, pois a velocidade de resfriamento é mais lenta até que se atinja a temperatura desejada de -196ºC.

No entanto, a técnica que tem sido mais utilizada é a vitrificação, método de congelamento ultrarrápido no qual o material a ser congelado é gradualmente protegido por soluções crioprotetoras e submerso em nitrogênio líquido na temperatura de -196ºC. Esse processo dura cerca de três minutos.

Independentemente da forma de congelamento, o material deve ser corretamente identificado e armazenado, podendo ali ficar por tempo indeterminado.

Indicações

A criopreservação permite o congelamento de materiais para que possam ser utilizados posteriormente. Dessa forma, ela é indicada para casais que desejam preservar a fertilidade ao congelar seus gametas ou embriões, de forma a utilizá-los na técnica de FIV.

Seja porque o casal decidiu não ter filhos no momento, seja pelo fato de a gravidez não ser possível devido à realização de tratamentos de doenças oncológicas, a preservação da fertilidade se apresenta como uma possibilidade de adiar a maternidade e a paternidade para o momento ideal.

Ela também é indicada para casais que apresentam sucessivas tentativas malsucedidas de gravidez. A técnica de freeze-all congela todos os embriões formados em um ciclo de tratamento de FIV até que o endométrio da mulher que receberá os embriões esteja adequado para a implantação. A estimulação ovariana é feita com medicamentos hormonais que podem afetar as condições do endométrio e provocar falhas de implantação.

O congelamento de embriões excedentes é obrigatório no contexto da FIV. A regulamentação da reprodução assistida e de suas técnicas complementares é fundamental, de acordo com princípios éticos que visam assegurar o bem-estar de todos os envolvidos com o tratamento.

Taxas de sucesso

A FIV apresenta altas taxas de sucesso na transferência de embriões congelados, relacionadas à diminuição dos riscos já mencionados. O fato de serem selecionados os melhores gametas e embriões para serem congelados também contribui para que as taxas de sucesso dessa técnica sejam altas.

A criopreservação é uma técnica de congelamento que pode ser realizada com embriões, gametas masculinos e femininos e tecidos gonádicos no contexto da FIV e está associada à melhora nas taxas de sucesso.

Saiba mais sobre a técnica de criopreservação neste artigo dedicado ao tema em nosso site.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de