O que é nidação?

O que é nidação?

A gravidez é um processo cuja ocorrência depende de fatores diversos. Por exemplo, a mulher precisa estar em seu período fértil para que a fecundação possa ocorrer. Outra etapa fundamental nesse processo é a nidação, que será abordada neste artigo.

Fecundação é o nome dado à fusão do óvulo com o espermatozoide, do qual resulta o zigoto. Esse processo ocorre no interior das tubas uterinas e, então, o zigoto passa por divisões celulares que dão origem ao embrião.

Esse embrião formado se encaminha na direção do útero, para que a gestação possa ter início. Os hormônios produzidos pelos ovários são responsáveis por fazer a preparação uterina, de modo a fazer com que esse órgão esteja pronto para receber o embrião.

Quer saber mais sobre a nidação? Continue a leitura do texto!

A nidação

Considerada um dos primeiros sinais da gravidez, a nidação, também chamada de implantação ou fixação, é o processo de fixação do embrião no tecido endometrial, camada interna que reveste a parede uterina.

Esse é um processo fundamental que ocorre tanto na gravidez natural quanto na reprodução assistida. Seu sintoma mais característico é um sangramento que pode ser confundido com a menstruação, que, no entanto, é raro. Na maioria das vezes, a nidação é um processo assintomático.

Quando a nidação ocorre com sucesso, tem-se início a formação da placenta e produção do chamado hormônio da gravidez, o hCG. Então, o embrião passa a se desenvolver.

Para que a nidação ocorra com sucesso, dois fatores se fazem necessários, sendo eles a receptividade endometrial, que se relaciona com a preparação do útero para receber o embrião, e a qualidade embrionária.

Como a nidação acontece?

A nidação ocorre de modo semelhante na gravidez natural e na reprodução assistida, inclusive na FIV (fertilização in vitro).

Após a fecundação, o zigoto começa as divisões celulares e se torna embrião (a partir da primeira divisão celular). Esse embrião, localizado na tuba uterina, se desloca até o útero.

A implantação do embrião no útero ocorre quando ele se adere ao endométrio. O processo leva algum tempo até a fixação estar completa.

Essa fixação é resultado de uma interação bioquímica que ocorre entre o embrião e o endométrio, resultando na penetração do embrião.

No caso da FIV, o embrião é transferido ao útero da mulher para que ele se fixe normalmente, já que a fecundação ocorre em meio laboratorial, fora do organismo feminino.

A vantagem da FIV em relação à fecundação natural ou aos demais métodos de reprodução assistida está no fato de que ela conta com técnicas que permitem analisar a receptividade endometrial, a fim de verificar qual o melhor momento para a transferência embrionária.

Qual é a relação entre a nidação e a fertilidade?

Considerando-se que a nidação é fundamental para que a gravidez tenha início, sucessivas falhas de implantação embrionária caracterizam um quadro de infertilidade.

Quando isso ocorre, é necessário realizar exames a fim de determinar as causas das falhas de implantação. Essas podem estar principalmente relacionadas à receptividade embrionária ou à baixa qualidade do embrião.

As falhas de implantação também podem ser causadas por distúrbios uterinos, como a endometriose, ou por alterações na produção de hormônios, entre outros fatores.

Dessa forma, o médico deve solicitar exames que visam abordar os possíveis diagnósticos das falhas de implantação a fim de determinar o tratamento mais adequado.

Consequências da falha de implantação

Ainda que as demais etapas anteriores à nidação ocorram adequadamente, a gravidez não ocorre se houver falha na implantação. Sucessivas falhas de implantação caracterizam um quadro de infertilidade.

A infertilidade é clinicamente definida como a ausência de uma gravidez após um ano de relações sexuais regulares sem que sejam utilizados métodos contraceptivos.

Quando essas falhas de implantação ocorrem no contexto da fecundação natural, o médico pode recomendar que sejam realizadas técnicas de reprodução assistida para aumentar as possibilidades de que uma gravidez ocorra.

A técnica mais indicada nesse caso é a FIV, que permite a manipulação laboratorial dos gametas masculinos e femininos a fim de selecionar os melhores para a fecundação, que é realizada em laboratório.

No entanto, falhas de implantação embrionária podem ocorrer até mesmo no contexto da FIV. Nesses casos, técnicas complementares são utilizadas a fim de garantir a preparação do tecido endometrial para receber o embrião.

A FIV também conta com técnicas que visam realizar testes nos embriões a fim de permitir a escolha dos melhores para serem implantados no útero.

A nidação é o processo no qual o embrião se implanta na parede uterina, sendo considerado o início da gravidez. Esse processo ocorre tanto na fecundação natural como na realizada por meio de técnicas de reprodução assistida como a FIV.

Saiba mais sobre essa técnica em nosso conteúdo dedicado ao tema.

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de